Google Meu Negócio – Para que serve?

Toda empresa que deseja estar no Google, precisa ter uma conta no Google Business – chamado também de Google Meu Negócio. Mesmo que não tenha endereço físico, como é meu caso, e o caso de agências que trabalham de modo virtual, lojas de e-commerce, consultoria on-line, etc., também é possível ter uma conta no Google Business e aparecer como o caso abaixo:

A sua página do Business aparecerá sempre que alguém procurar pelo nome da sua empresa. Podem ser incluídas várias informações relevantes, como telefone, site, horário de funcionamento, redes sociais e mapa de localização (se tiver um endereço físico). Se o usuário estiver acessando de um celular e clicar no botão Ligar, ele fará a chamada automaticamente. Se clicar no botão Rotas, ele inicia o Google Maps traçando a rota até sua empresa. Também pode-se colocar uma galeria de fotos da sua empresa e fotos de produtos separados em categorias que você mesmo cria. São muitas possibilidades.

Bom, tenho algumas ressalvas quanto ao serviço de fotos de produtos e postagens: tive dificuldades para incluir postagens de alguns clientes, pois nas diretrizes do Google, determina-se que as fotos não podem conter área de texto superior a 10% da imagem e não podem conter rostos de pessoas. E o texto das postagens não pode conter números de telefone, emojis, e nem caracteres especiais em excesso.

Como começar

O endereço para começar é este: https://www.google.com/intl/pt-BR_br/business/

Você deve fazer o login com sua conta Google, e depois é só seguir as instruções. Em determinado momento, será solicitado para Confirmar o seu negócio. Isso antes podia ser feito via ligação telefônica, mas ultimamente está sendo feito somente por carta.

Funciona assim: você fornece o endereço, que pode ser da sua empresa, ou mesmo da sua residência, e dentro de 5 a 10 dias, receberá um cartão-postal do Google com um código. Basta fazer login novamente no Google Meu Negócio e informar o código que está no postal, confirmando assim que o endereço físico é seu mesmo. Depois disso sua empresa já faz parte do Google.

Como incluir o Certificado SSL no seu site

O SSL (Secure Sockets Layer) é um Certificado Digital que garante segurança nas transações online, entre o usuário e o website. Em termos práticos, significa que, quando um usuário preenche um formulário digital, por exemplo, as informações são criptografadas para que não haja vazamento de informações. Essa criptografia é feita por uma chave única, em posse da empresa certificadora.

A cerca de 15 anos atrás, com a popularização de sites de e-commerce, tornou-se necessário proteger informações sigilosas como cartões de crédito, dados bancários e senhas de e-mail. Fez-se necessário a utilização de criptografia para proteger tais dados, então investiu-se muito na criação de certificados que garantissem a segurança desses dados. Porém, de alguns anos para cá, cada vez mais golpes de internet obrigaram as empresas a adotarem medidas de segurança até nos formulários mais triviais.

E finalmente em julho de 2018, o Google praticamente decretou a necessidade de se possuir um certificado SSL em todos os sites, priorizando em suas buscas os sites que possuem Certificado SSL. O navegador Chrome deixou de exibir certos sites, e em alguns casos mostrando uma tela assustadora de aviso de site não seguro para os sites que não possuem SSL. E em sites com baixo risco de invasão (sites que não possuem formulários, por exemplo), simplesmente mostra um ícone e o aviso “Não seguro” no prefixo da URL, ao contrário do famoso “cadeado”.

Então para garantir segurança para seus usuários e além disso ter uma prioridade na busca do Google, todo site precisa de um certificado SSL.

Como incluir o SSL em meu site?

A maioria dos provedores de internet possuem algum tipo de pacote que inclui o certificado SSL. Na Locaweb, por exemplo, toda hospedagem possui um certificado SSL compartilhado. A maior desvantagem do SSL compartilhado em relação ao SSL próprio, é a necessidade de usar o prefixo por exemplo: https://ssl.websiteseguro.com/seu-domínio Ou seja, a URL fica um tanto longa e não intuitiva.

Vou citar aqui o exemplo de como contratar na Locaweb, que é meu provedor de hospedagem, e acredito que nos grandes provedores o processo seja semelhante. A Locaweb possui um passo a passo bem simples de seguir, e o primeiro passo é solicitar a contratação, gerar o boleto e pagar. Após a confirmação de pagamento, a Locaweb envia por e-mail um link para fazer o cadastro e solicita que se abra um chamado para gerar a chave CSR, uma espécie de senha gigantesca e portanto impossível de ser adivinhada. Essa CSR é gerada pela empresa certificadora, e depois deve ser informada para o provedor de hospedagem.

Como sou Desenvolvedor Locaweb, a própria Locaweb se encarrega de realizar alguns passos de instalação, poupando algum tempo, então o terceiro passo é a configuração de redirecionamento. Assim, se o usuário digitar por exemplo “www.nishiweb.com.br”, ele vai ser redirecionado automaticamente para “https://nishiweb.com.br”, evitando assim que ele veja uma página não segura dentro do seu site.

O redirecionamento é bem fácil de se fazer, bastando acrescentar o código abaixo no arquivo .htaccess do seu site:

RewriteEngine On
RewriteCond %{SERVER_PORT} 80
RewriteRule ^(.*)$ https://www.seudominio.com.br/$1 [R,L]

Caso seu site não tenha o .htaccess, é só criar um usando um bloco de notas e salvar na raiz do seu site.

Pronto, assim a segurança do seu site estará garantida!